maio 15, 2014

Flávio Morgenstern contra o falso iludido contente

“Estou chocado!”, repete o opositor de Flávio Morgenstern no debate. É a reação do típico intelectual esquerdista: finge indignação; conhece a verdade, mas prefere escondê-la sob o discurso faccioso, sempre pronto à exaltação do regime e da ideologia a que serve.

Poderia ser apenas a reencarnação do Dr. Pangloss, mas não: mentir tantas vezes, distorcer os fatos repetidamente, torna-se uma segunda pele. No fim, ele já não sabe a diferença entre mentira e verdade – e se transforma no que chamo de falso iludido contente.

Vejam o debate. E constatem: nem mesmo altas doses de realismo conseguem arrancar desses fantasistas profissionais um renovador minuto de honestidade.

5 comentários:

carlosweb. disse...

Muito interessante observar como mudou a postura do professor após o Flávio denunciar a tática do xingamento: quem xinga, xinga porque sabe que o outro não é aquilo e não gosta. Flávio nunca xinga — ou pelo menos um esquerdista não percebe isso é chamado de esquerdista, comunista, socialista, esses palavrões que eles adoram.
Mas mais engraçado é perceber como o próprio professor, depois, acusa quem gosta de simplificar e criar fórmulas repetidas exaustivamente. Ou seja, a partir de agora seus alunos vão aprender que xingar os outros de fascista, nazista, neoliberal, coxinha, "de direita", olavette etc., é uma tática baixa de quem tenta simplificar o debate mediante fórmulas repetidas exaustivamente.

NNEVES disse...

Há que se ESPALHAR(e gravar antes que a MAV-PT/marco civil exclua!)esse vídeo!

Verdadeira AULA de como 'pensa' e age o governo atual e seus aliados.

Verdadeiro DEBATE, coisa raríssima que ocorre no Brasil.

carlosweb. disse...

Não houve destruição de patrimônio público nos protestos brasileiros?
O quê???!!!
Quem são as pessoas que levam a sério um debatedor desses?

Eduardo Lopes disse...

A parte onde ele (o 'professô') fala que a Grécia e Espanha estão em crise por causa do neoliberalismo é de doer no saco. Esses países estão pagando justamente por causa do wellfare-state. Dizer que no capitalismo não tem distribuição de riqueza é outra lorota. Basta ver o IDH dos países mas capitalistas, que lá sim existe distribuição. No socialismo tem concentração de renda na mão dos camaradas deles, o resto da população vive na igualdade por baixo, como sempre. Abraços Rodrigo e boas cachimbadas, confrade!

Luis disse...

Esse professor esquerdista presta um elevado desserviço àqueles que desejam estudar sobre o tema da ditadura, crescimento econômico e sociedade brasileira (em comparação com outras e sua análise interna). Ademais, serve para dar um show de como não se comportar em um debate acadêmico.