abril 02, 2012

Ao ego de Leonardo Boff, sem retoques

Alguém, por favor, avise a Leonardo Boff que ninguém está aguardando por ele na Igreja Católica; que não somos agradecidos a ele – e a outros teólogos da libertação – pela cizânia que semearam entre nós (e continuam tentando semear); que desejamos que ele continue vendendo bem os seus livros de teologia New Age, publicados por uma editora supostamente fransciscana, pois o que seria do mercado editorial se não existisse subliteratura?; e que a Igreja, Bento XVI e nós, católicos fieis a Roma, dormimos todas as noites sem dar a mínima para o que ele pensa, deixou de pensar ou falou aos esquerdistas empregados no Estadão.

2 comentários:

Mirian Macedo disse...

Rodrigo, assisti na TV a um trecho de palestra de Boff em que ele afirmava que a lula (não o Lula) era o animal que poderia ocupar o lugar do homem no caso deste vir a ser extinto. O molusco é dotado de duas memórias, uma coisa assim. Precisa dizer mais?

Rodrigo Gurgel disse...

Não, não precisa dizer mais nada, Mirian. Ainda bem que a Congregação para a Doutrina da Fé silenciou essa brilhante inteligência!