julho 05, 2012

“A todo transe!...”, de Emanuel Guimarães – esquecido e desprezado


Este mês, no jornal Rascunho, analiso o romance A todo transe!..., de Emanuel Guimarães. A seguir, coloco os três primeiros parágrafos do meu ensaio:

A todo transe!… é um tipo peculiar de roman à clef: à parte o fato de pertencer a certo elogiável grupo — no qual encontramos, por exemplo, Os Buddenbrooks ou O sol também se levanta —, a obra de Emanuel Guimarães, publicada em 1902, permanece atual não apenas graças às qualidades literárias, mas porque sua “chave”, passados mais de cem anos, pode ser encontrada em Brasília ou nas assembleias estaduais, como se os políticos encobertos pelas personagens ainda estivessem vivos, cadáveres embalsamados por meio de alguma técnica miraculosa, capaz de mantê-los respirando e, principalmente, cometendo os mesmos delitos.

De fato, a semelhança entre o romance e as piores páginas do noticiário político chega a ser assustadora, mas não devemos nos prender a tal característica, pois ela apequena as virtudes desse livro injustamente esquecido, que nos ensina como a ficção pode descrever não só uma época, mas, partindo de fatos mesquinhos, retratar a índole duradoura da classe dirigente e a feliz alienação do povo.

Não por outro motivo, aliás, A todo transe!… foi expulso das nossas histórias literárias, escorraçado das antologias e banido das livrarias: o brasileiro é condicionado, sempre e cada vez mais, a enganar-se quanto a seus defeitos e qualidades, travestindo-os por meio do sentimentalismo, da farra, da autocomiseração ou do comportamento ufanista. O que é o Carnaval, senão a exasperação da tristeza e da derrota? E a crescente hegemonia do marxismo — inclusive, é claro, na crítica literária — só agravou o problema: para a esquerda, o brasileiro, olhando-se ao espelho, deve ver não a realidade, mas a utopia — a ideia benévola que faz de si mesmo.

3 comentários:

Pedro Garcia Burgalês disse...

Homenagem merecida.

Marcio Perfetto disse...

Ola, sou Marcio Perfetto e como leitor deste e de outros sites com bons conteúdos (raro, meu amigo, raro), gostaria de saber onde posso comprar um exemplar da obra em questão.

Obrigado, um abaraço.

Rodrigo Gurgel disse...

Prezado Márcio: a Estante Virtual tem alguns exemplares [http://www.estantevirtual.com.br/mod_perl/busca.cgi?alvo=titulo&pchave=todo&orderby=livros_seminovos&memoria_queries=titulo+1v1+%252Btranse&bestante=&bvendor=&section=&refinar=1&pd=]
Um abraço!