maio 15, 2011

Autoritarismo tropical

Não temos políticos de oposição. Quanto aos meios de comunicação, é preciso garimpar, todos os dias, alguma matéria que não repita lugares-comuns favoráveis ao governo. O país está corrompido. E as exceções ou não encontram espaço para se manifestar ou preferem o silêncio. Como disse Dora Kramer, hoje, no jornal O Estado de S. Paulo,

“o governo caminha, devagar e no uso dos instrumentos disponíveis na democracia, para conquistar o controle das instituições construindo uma hegemonia político, social, legislativa, cultural e mais o que puder açambarcar até consolidar-se na posição de suprema instância de decisão.

Faz isso nas barbas de uma sociedade inerte e de uma oposição cúmplice que parecem ter dificuldades para decodificar sinais e ligar os pontos”.

Não, não é um problema de ordem política, caros leitores, mas, sim, de ordem moral. Tudo se resume a uma só palavra: oportunismo.

2 comentários:

Jonas Lopes disse...

Fora a questão mais grave, a de votação para a câmara por meio de lista fechada. O PT quer tirar do eleitar a chance de escolher seu canditato e, dessa forma, colocar apenas a patota no poder.

Anônimo disse...

Parabéns, Rodrigo! Concordo em gênero, número e grau! Abraços. Valéria Rodrigues