janeiro 15, 2011

Sob vigilância

Fui entrevistado pelo jornalista Sérgio Rizzo para matéria, publicada no último número da Revista Educação, sobre a recente tentativa de censura ao livro Caçadas de Pedrinho, de Monteiro Lobato. Este é um dos trechos:

As ações estabelecidas pela Câmara de Educação Básica (CEB) nascem de "certo problema básico", de acordo com Gurgel: um "Estado paternalista, que se acredita tutor dos cidadãos, que os trata não como indivíduos capazes de exercer seus direitos e deveres, em termos civis e políticos, mas como filhos imaturos, crianças incapazes de discernir, de escolher entre o bem e o mal". O comportamento seria "contraditório", pois "esse mesmo Estado, quando cobra altos impostos, e sucessivamente aumenta a carga de tributos", encara os cidadãos como "adultos responsáveis".

4 comentários:

Pedrita disse...

bela matéria, eu acho tão importante conhecermos como pensam as pessoas. hj em dia, na era do politicamente correto, há igualmente preconceitos iguais, só q ficam velados, um livro confrontar, mesmo q só comentando como era, faz refletir. estou lendo rio das flores de miguel sousa tavares e volte e meia, pela cabeça retrógada do irmão, vemos pensamentos preconceituosos e entendemos tantos abusos por esses pensamentos, realmente é patético extirpá-los. beijos, pedrita

Pedrita disse...

inclusive foi através de proust q eu descobri q o preconceito aos judeus começou muito antes de hitler. casas de pessoas ilustres não recebiam judeus. as que recebiam se esvaziavam dos nobres.

Eduardo Maretti disse...

Estão tentando fazer de Monteiro Lobato a nova vítima do politicamente correto. Ainda bem que, como escrevi num post no meu blog (link abaixo), o ministro a educação colocou os pingos nos "is". Aguardemos os desdobramentos.

http://fatosetc.blogspot.com/2010/11/monteiro-lobato-pasmem-e-nova-vitima-do.html

Rodrigo Gurgel disse...

Acho que o ministro só não suportou a manifestação da parte lúcida sociedade, Eduardo. Foi forçado a agir. No fundo, pela ideologia que segue, Haddad bem que concorda com a censura.